24 de fevereiro de 2024

O amor que me integra

Com meus
olhos cheios de mim e com o meu ser em fantasias

Com
pedaços do meu ser à deriva a outra em sintonia

Talvez seja
porque o amor passa do que nos cabe

É algo
que passa de nós todos os dias

Vai
buscar pessoas e colocá-las aqui bem do lado

Aperta
as mãos, oferece os braços como abrigo

Tudo é possível,
até o invisível se faz a olho nu

Muito
mais do que o impossível o pensamento traz

Ah como
é bom ter esse ser no meu peito o tempo inteiro

E quando
vai saindo igual ao sol se despedindo

Ah
saudade de doer o peito,

um
sentido para nunca esquecer

Não sei
por que dificultamos o que se tem além do além

Ainda
bem que te trago de volta para mim sem solicitar

É que és
a pessoa que meu ser pede para amar

Dou-te
então o meu ser e a minha melhor parte

É ali
onde estás por toda a vida

Lá onde
fixaste endereço e até moradia

Pois é
dentro do meu coração que traz harmonia

Por isso
não me despeço do que sei que tenho em mim

 Nilson
Ericeira