22 de fevereiro de 2024

Toque de recolher

Escutei-me no silêncio de mim mesmo

Atendi aos apelos da vida

Contrariei meu coração

Recolhi-me a minha própria transgressão

Mas nunca te tirei do coração

Dei voz, melodias, cores e pus os tons da vida

Criei canteiros, coloquei-te em destaque

Aspirei essências tuas

Misturei-me com a tua composição

Mas nunca deixei de te amar

Criei mundos…

Aguei meu mares

Pus-me em oceanos

Naveguei…

Subir ao céu…

Misturei tintas

Mudei as estações

Falei com os ‘anjos’

Fiz pedidos

E sumir no tempo…

Mas é a ti que eu amo

Nilson Ericeira