25 de fevereiro de 2024

E na estufa…

E na estufa…

Olha só, você chegou tão simplesmente

Nem parecia trazer sementes

Desse amor que disseminou

Mas eu nunca cuidei de mim

Então, vim aqui só para dizê-la

que em mim nada mudou

E o que restou e floresceu

Foi esse amor que se fez em mim

E numa manhã de um certo dia

Uma flor resplandeceu!

Agora sei que a amo intensamente

No coração, na estufa outras sementes

Pois o nosso amor em mim nunca morreu

E eu amei você assim

E te dei o melhor de mim

Na estufa ou no coração

O nosso amor é caldo de vida e unção

Nilson Ericeira