20 de fevereiro de 2024

Um dia de sonhos

Eu
sonhei

Acordado

Eu sonhei
com sonhos

Passaram,
ficaram, eternizaram

Desmontei
cenários

Outros enraizaram

Por isso,
o sonho, os sonhos, uns sonhos

De
antes, de agora e de sempre

Vivo o
sonho de ser livre

Ter uma
pátria livre

Sem lixo
e otários

Sem beatificações

Alienados
e alienígenas

Sem choro
nem vela

É, eu
sonhei sonhos possíveis

E
impossíveis também

Vi-me dormindo
noutros mundos

Vi-me
fingindo que não vi, não ouvi

Eu me vi
em sonhos

Mas não
aconteceram

Agora,
procuro-me noutros sonhos

Resgato
cenários

Abro as
cortinas

Anuncio…

Busco no
imaginário

Desfaço-me
de frustrações

E, sigo,
igual antes

Transbordando
de esperanças

Querendo
sonhar sonhos realizáveis

Mas não
sei alcançarei

   Nilson
Ericeira