20 de fevereiro de 2024

Arei em Arari

Arei
em Arari

Areia

Ara
ali

Arari
1962

Atenas
2022

Pariu,
berrou, gritou…

O
poeta nasceu

Vi
portas de meançaba

Côfo
veio

Tabuleiro
de sapateiro

Ali
um rio transporta para o mar

Pessoas
se permitindo amar

Nos
dias…

Nos
anos

A
vida, arei, ararizei com ansiedade

Arariensidade

Impaludismo

Abismo

De
hoje não passa,

Dizia
o doutor

Que
dor!

Agulhadas…

Pernoites,
vigília

O
poeta sobreviveu

Pai
velho burilava

Esmerilava,
lixava…

À
mãe dá a cria

Mais
um criado às ordens

Pobreza,
exclusão

Agora
vive a aradar

Ali,
aqui, em letras

Poemas
imperfeitos

Sujeito
e objeto do mundo

Cúmplice
em subjetivismo

Valeu,
viveu, ficou, ficará…

Em
sina, ensina, aprende

Assim
que o poeta nasceu

   Nilson
Ericeira