22 de fevereiro de 2024

Estações de amor

 Antes de
te conhecer.

Minha
vida não cabia.

Alegria
não sentia, amor não dizia…

Antes de
te conhecer não sentia o vento, o tempo.

E nem
estações eu tinha.

Hoje
tenho norte, tenho sorte, tenho amor.

Antes de
te conhecer.

Escurecia,
fantasia, ilusão, descrença e dor.

Hoje
tenho amor.

Hoje eu
tenho amor.

Hoje eu
sou a flor, eu sou o tronco, a folha e o espinho.

Sementes!

Hoje eu
sou o verde, eu sou a vida, pois tenho você.

Ontem
caminhava sem rumo, em ilusões,

alucinações.

Hoje eu
tenho amor no polo de mim, metade, todo enfim.

Antes de
te conhecer só anoitecia e mim.

Hoje você
me amanhece, clareia meu amor.

Hoje eu
sou o todo, metade mim, metade você.

Meu todo
é amor!

Você é
minha composição!

Antes eu
era triste, andarilho, sem trilho, sem vagão…

Era uma
estação solitária.

Hoje sou
o barulho, o som das paradas, velocidade da luz, eu sou amor.

Eu sou o
texto, seu corpo, sua alma, seu amor.

Eu sou a
palavra, sou a vírgulas e pontos, interlocuções, enfim.

Antes de
te conhecer, não tinha vida.

Hoje sou
alegria, broto, amor, estações…

Antes de
te conhecer era a gota, hoje sou água,

respiração,
oceanos.

Antes,
semente sem terra, sem vida, sem graça…

Hoje eu
sou a vida, o sol, estrelas, amor…

Amor por
você!

Nilson
Ericeira