20 de fevereiro de 2024

O que me dá vertigem

Hoje e
ontem a natureza humana me causa vertigem

Nem por
isso sou descrente de amar o meu irmão

Confesso
que há atitudes que me fazem vomitar

Há fatos
que causam ojeriza

Há os
que aterrorizam

Porque
residem na índole das pessoas

O amanhã
será assustador, caso não nos redamos

Não é
por acaso que nos assustamos

Não assimilamos
o bem

E até
nos assassinamos

Matamos,
morremos, vegetamos…

Um dia,
caso cedamos ao bem,

nos
reencontraremos

Agora, cada
um somos uns,

cada um
podemos ser sempre apenas um

A vida
nos impõe a fazer elos, tecer fios…

Assim,
vivemos em malhas, umas nos soltam

Outras
nos prendem

Nos
colocam em cárceres

Por isso
tenho vertigens

Ainda
bem estão no ocaso

Pessoas
e coisas disputam suas posses

Eu,
lamento

 Nilson
Ericeira