25 de fevereiro de 2024

Voos de um colibri

Bato asas, disfarço e voo…
Sempre em busca de ti
Batendo asas, rompendo ventos
Em ventanias e agonias, a alegria de ter no meu coração
No peito, mensagem silenciosa, de tantas coisas que são vidas em mim
Voo todos os dias ao teu encontro
Vejo-te em rostos, em outras faces, mas em mim uma única face
E entre nuvens, em especial mas, longe do chão
Saudade escancarada no peito, faz efeito no meu coração
Nilson Ericeira