27 de fevereiro de 2024

O poeta e o mágico!

O
poeta pensou, refletiu, acudiu

O
mágico simbolizou, aparições!

O
escrevente divagou, rabiscou

O
ilusionista fez do papel um lenço

No
poeta, lágrimas rolaram, secara, esvaíram

O
artista transformou água em fogo

O
artista dos artistas deu-lhes em poemas

Assim
digladiaram, interagiram, silenciaram

O
rio correu…

A
água fluiu…

O
céu de estrelas escureceu

O
dia!

O
sol, a luz, o calor

A
chuva o frio, o tempo

Tudo
foi posto em obra

Assim
fazem-se os dias

Assim
fazem-se as noites

No
paraíso, a mulher, o homem

A
ilusão, o amor, o coração

O
poeta pois o pecado, a carne

O
ilusionista a beleza carnal

O
drácula, o vampiro, o cão, o caldeirão

A
magia se pôs em panaceia

O
poema em efusões

Juntaram-se
na unidade da matéria

E
seguem tecendo a vida real e a fictícia

    Nilson Ericeira