25 de fevereiro de 2024

Flor sentida

Há tanto tempo não a vejo

Não sei de um sinal

Mas a procuro em mim todos os dias

E assim me iludo o suficiente para
sobreviver

Ainda que não queiras

Brotas em canteiros meus

Pois alento do meu coração

Condimentos e ar da minha vida

Flor sentida

Sem ti não vivo

Mesmo que passe em estações

E se notícias tuas não tenho

Definho nos dias…

É que a saudade me aperta

Sinto a tua falta na mesma dimensão de
alimento

Pois nutres o meu coração, corpo e alma

E a tua ausência em nada me ajuda

Pois deixas o meu coração aflito

Ainda que seja em sinais

Por tua notícia atravesso os mares, ares,
céu e chão

Antes, sei que moras no meu coração

Portanto, flor sentida

Vens estancar aflição em mim

Antes que me seja tarde,

pois sem esse amor não vivo

 Nilson Ericeira