20 de fevereiro de 2024

Colorir, outra vez vou colorir

Vou
colorir minha cidade com as cores da felicidade

E
com gente de todas as idades tracemos com as tintas do amor

Com
o restinho da tinta que sobrar, vamos misturar com outras cores

Sair
correndo para homenagear o nosso amor

Outra
vez vou colorir o sol de Arari

E
a lua prateada e reluzente colorindo o céu de nossa gente

Vou
colorir outra vez vou colorir o céu de Arari

Vamos
colorindo a vida e os caminhos, os pássaros e todos bichinhos…

Enquanto
mistura a tinta, eu, passarinho!

Preservando
o nosso Rio Meariam e permitindo que deságue sua tinta em mim

Colorir, outra vez
vou colorir

Vou
colorindo o nosso chão e o irrigando com unção

Fazendo
nascer outras vidas frutos do amor no coração

Vamos
seguindo distribuindo tintas e pinceis para mais gente que quiser pitar

E
assim aprenderemos cada vez mais a conjugação do verbo amar

Vamos
fazer uma mistura de tintas:

uma
pitada de amor, de alegria, felicidade e de prazer…

Juntar
tudo e mexer para ver em que tonalidade vai ficar

Não
permita Deus que eu morra sem que volte para lá

E
em cismar com a tinta restou, agora mesmo vou pintar o meu amor

Então
vou colorindo, vou te seguindo, vou festejando…

Vou
te amando, vou te levando…

Até
que eu chegue à perfeição de misturar as tintas da vida com caldo de unção

Por
tempero e sal a gosto, degustar da vida ali

Mas
eu nunca vou me esquecer que estou pintado em Arari

Então,
ara ali, e com restinho da tinta que sobrou também demonstre o seu amor

   Nilson
Ericeira