20 de fevereiro de 2024

Arei meu coração

 Arei meu coração

Arei agora mesmo o que antes o meu coração pedia
Agora, deleito-me com teu rio em mururus que parecem se comunicarem
E desce silenciosamente rumo ao mar
Antes meu peito te pedia para amar
Arari de tantas coisas, causas, pessoas
As que já se foram, às que estão e ficaram
Muitos edificaram, fincaram teu nome
Eu me renomeei, aliás, me abasteci
E desse amor alimento e dou vazão às coisas do meu coração
Então, arei, Arari ararizei
Eternizei em mim gentes e coisas
Para assim, fertilizar amor na vida que me resta
E ser um ser lembrado por laços e enlaces
Nilson Ericeira