20 de fevereiro de 2024

A canalhice

O
dinheiro

O
verbo, a carne

O
voto

O
posto, a pasta, o mequetrefe

Um
puxa-saco, uns puxa-sacos

A
vida, a morte, à ojeriza, a missa, o púlpito, o sagrado

Os
consagrados

Uns
tostões, uns mil rés, uns milhões

A
canôa, a barca, a cidade

O
fulgás, uns simpáticos, o antipático

A
festa, os lugarejos, um esconderijo

O
mês e sua divisão: milhões!

A
febre, a dor, a fila, uns analgésicos

Então,
viva a vida antes que a morte me leve

O
copo, a bebida, o sobejo

A
comida: peixes e alegorias

Então,
folguedos, folgados!

O
olheiro, o calado, um fuxiqueiro

 Nilson
Ericeira