27 de fevereiro de 2024

O amor em calmarias

O
que eu fiz você sentir

E
fez que não sentiu e disfarçou

Embora
com o coração em reboliços

Você
se negou do que não conseguiu

Aparentou,
mas a indiferença não encobriu o amor

E
ali, bem no cantinho de mim, eu guardei você

Com
as impressões do amor que eclodiu em mim

Feitos
flores a exalar essências suas nos jardins

Assim,
eu guardei em mim o que ficou,

restou
e edificou

Então,
não negue as razões do seu coração

É
que a voz do amor ninguém consegue calar e sufocar

Pois
é som constante que eclode a todo instante e até no que não se previu

Mas
eu sei, você sentiu o amor se alastrar completamente

Feito
sementes a germinar o amor que amadureceu


eu sei então o que eu fiz você sentir

Eu
sentir bem antes em mim a sensação do amor

Em
ondas fortes em ebulição

Pois
é assim que se diz o amor todos os dias

Em
ventos, tempestades ou ventanias

O
amor supera e é assim

 Nilson
Ericeira