25 de fevereiro de 2024

Alma conflituosa

Face da minha lua

É a estrela minha rua
Constelações mim
Sois em pino de um amor fino
Que me escapuliu…
Mas me deixou pecadas e sentidos
Por isso vivo em devaneios
Só, sentido solidão
Mas sem que renuncie amor no meu coração
Pois voz ressoa e me faz ressoar
Sempre com a esperança de te amar
A face da minha lua oculta
Por vezes dificulta-me a expressar
De tal maneira que vivo a esperar
Pois pode ser que um dia
Nem que seja por uns segundos
O teu doce a degustar
E assim me embebedarei de amor
E de corpo inteiro, coração e alma
‘Me’ deletarei, sem regras e convenções
Frouxarei em mim o amor do meu coração
Nilson Ericeira