22 de fevereiro de 2024

As tintas do meu coração

É
espectro!

Por isso
se compõem, decompõem…

Compõem

Por
vezes amarelam

Confundem,
propagam, apagam…

E assim
formam meus dias

Uma
profusão de cores e tons

São
traços, rabiscos da minha vida

Um pouco
de tudo em mim

O
aceite, o abraço, o azeite

A
alegria da chegada, sinais de tristeza na partida

São
batidas de dentro de mim

Que se
misturam ao mundo e as coisas do mundo

Por
vezes enche que derrama

Outras
me secam até em lágrimas

Outras:
soluços

Mas sei
que assim eu vou pintando a minha vida

Por
vezes no céu límpido

Outras,
no ocaso

Mas sei
se que logo me juntarei a mim para novas profusões

E, se
novamente me derramar, pintarei você em mim

 Nilson
Ericeira