27 de fevereiro de 2024

A-ra-ri meu amor único

Meu ar e vida
Pessoa e ser de que não me ponho em despedida
E bem antes da minha partida, volta e meia volto do céu pra te espiar
Flor da minha estação e vida do meu coração
Minha lua, lugares e meus amores e amares
É que em ti dor nenhuma sinto
Pois curado que sou pelo teu amor
O único especial lugar que enceno, faço versos porque estou na fonte
Bebo assim da fonte e da sapiência de teus filhos que nos orgulham
Agora estou a armar a minha barraca no teu solo
E de lá não saio mesmo que em maré cheia
Então ficarei eternamente em preamar
Só para sentir borbulhar, lá dentro de mim, um único amor por ti e de que vivo a me nutrir
E assim, mesmo sem me declarar, logo podem imaginar que morro de amor pelo meu lugar
E sei que em ti nunca sentirei solidão
Pois me acompanharei desse amor lá do fundo do meu coração
Nilson Ericeira