20 de fevereiro de 2024

Meu compadre Pedro de Aprígio e o meu compadre Robrielle



Uma das figuras mais
lembradas por mim, meu compadre Pedro de Aprígio, um dos mais chegados amigos
que eu tive na minha vida.

Desde criança esteve presente
na nossa vida e nós na dele, ao ponto de meus pais se sentirem no direito de
elogiá-lo ou criticá-lo.

Não é à toa que só na
nossa casa ele era compadre de meu pai, da minha mãe, da minha irmã Têca e de
mim mesmo. Quando passou a me chamar de compadre Robrielle. Dá para perceber
que até o meu pseudônimo devo-lhe.

Tenho muitas estórias do
meu compadre Pedro de Aprígio para contar e as conto quando quero fazer a s
pessoas rirem, ao mesmo tempo que guardo a sua memória no meu coração. Deverei contá-las
nos meus livros que contam nas mais de 300 pastas Usinas de Ideias. Se não der
tempo, certamente um dia alguém há de se interessar.

As minhas histórias não
importantes porque são minhas, mas porque são de pessoas da magnitude e
importância que pessoas iguais ao meu compadre Pedro Cabelo teve na minha vida.

Por que Pedro Cabelo? A
região de Moitas certamente terá a resposta, mas também paginará um dos meus
escritos.

Meu compadre Robrielle! Um
dia o fiz a pergunta: por que Robrielle? E ele me respondeu: “sei lá”?