27 de fevereiro de 2024

Asas feridas

Toquei meu ser sem perceber

E ne vi que minhas asas feridas me marcaram
Deixei-me levar em ondas pelo ar
Não esqueci de ti
Vi-me seguindo mesmo cambaleante
Me vi amante, apesar das minhas asas
Voei para te ver no meio de mim
Então foi assim que eu voei e te procurei na imensidão do ar
E assim eu te amei, eu te amo e amarei
Mesmo sangrando e fui seguindo te procurando
Tracei caminho e deixei as minhas marcas
Pesar da vida e das feridas eu não deixei de te amar
E assim, o teu amou em mim foi o que me restou
Saudade tua me dói demais e não consigo disfarçar
E por ti eu sou capaz de voar mesmo com-dor
A asas te alcançarão eu sei, dentro do meu coração
Nilson Ericeira