24 de fevereiro de 2024

Ganhar e perder pessoas

 Não
perdemos as pessoas quando chega o final da nossa vida material, mas quando nos
é enrijecido o coração por meios de nossas condutas e atos. Ganhamos pessoas
quando sentimos a presença delas em nossas vidas.

Não
nos devemos poupar em nos oferecer para as trocas mútuas que o amor nos
proporciona. Ainda bem que o amor é gênero, subgênero, espécie e se apresenta
em faces. O amor não é igual de pessoa para pessoa e nem nos permite moldes ou
fórmulas, por isso mesmo espontâneo. O amor nos faz pessoas melhores, pois
quando descobrimos e nutrimos este sentimento vivo em nós, adquirimos sempre a
esperança de que todos os nossos dias serão de luz. Pessoas boas se permitem
amar, com isso não possibilitam corações enrijecidos.

Quantas
vezes saímos e nos despedimos de pessoas que gostaríamos que sempre nos acompanhassem?
Saímos sem sair do mesmo lugar ou mesmo levamos determinadas pessoas conosco
por onde andamos. É que amamos estas pessoas e fazemos questão delas a todo
instante.

Cada
vez mais devemos nos permitir ganhar pessoas, mas antes precisamos analisar os
nossos próprios valores. Com isso nos permitimos aceites. Aceitar as pessoas é
uma das missões sublimes dos seres humanos. E só o amor nas suas faces nos
permite amar de diferentes maneiras diferentes pessoas. A cada um uma
demonstração de afeto e de fazer questão.

Por
vezes entendo que há pessoas que por não se permitirem, também não descobrirão
o quanto é interessante amar e o quanto o amor nos permite ser diferente e
ganhar pessoas por toda a vida.

Que
bom é viver e sair por aí solicito a oferecer abraços!