22 de fevereiro de 2024

Coisas do meu coração

Talvez não
me veja e nem me enxergue

Talvez
eu não sinta ou finja

Talvez
não seja eu, sejam outros

Ou quem
sabe talvez seja mais um

Mas eu
não suportaria não sentir a dor alheia

Pois da
minha há muito silencio

Talvez
assim declinei segredos meus

Coisas
do meu coração

Quem
sabe todos os dias eu me despida de mim

E aos
passos que dou, que dei e darei…

E quem
sabe talvez nem o meu silêncio escutem mais

Talvez eu
não seja um normal

E
tropece nos meus próprios caminhos

E não me
encontre em lugar nenhum

Talvez
porque não me apresente

Talvez por
não me encontrar e às vezes sair por aí

É que
sempre estou a confundir a minha própria imagem

Nilson
Ericeira