22 de fevereiro de 2024

Ator patético

Um representante do povo

Criador de estórias

Ator, à toa

Não fala, vomita

Ainda assim aplaudem!

Tem seguidores, teleguiados

Uns dementes que mentem com prazer

E um ator disposto, renovado, rejuvenescido

Novinho em folha

Com estoque de mentiras a dá inveja a
Camões

Mas é preciso renovar o cenário

Pois no riso, uma boca escancarada de
dentes

Rindo da desgraça alheia

Assisto a atores patéticos

Palhaços sem picadeiro

Pobres expectadores

 

  Nilson Ericeira