25 de fevereiro de 2024

Arari, da lamparina ao candeeiro

Arei
meu coração de amor

Abri-me
cuidadosamente
Pois têm essências de flores do campo

E
os peixes mais saborosos

O
melancial mais florido

O
doce e o néctar da vida

E
um rio inteirinho para nadar

E
o venturoso Mearim a marear

Nada
nos separa de ti

Arari
a cidade que Deus nos concebeu para amar

Arei
meu coração para encher meus olhos com os contos de

Josés,
da Costa, Fernandes, Batalhas, Bezerras…

E
me enfiei na política

Pus
isca num anzol

Admirei
arrebóis

E
vi Itapoã chegar

E
de lá tirei a pessoa mais linda para amar

E
fui de lancha pro mar…

Arei
meus olhos de sublimação

E
irriguei amor no coração

Dei
abraços e recebi em interação

E
ouvi pororoca roncar

É
de lá meu néctar de amar

E
continuei arando, sonhando, realizando

Pois
logo vi canôa ancorar

E
acendi luz de lamparina pra ver quem acabara de chegar

 

Nilson
Ericeira