22 de fevereiro de 2024

A primazia do interesse público e a realidade fática!

A ignorância faculta o
descaso, proporciona a pobreza e escamoteia o verdadeiro objetivo da coisa pública
(Res pública).

O que é isso? Entendo que
todos os gestores públicos deveriam conhecer e aplicar alguns princípios
administrativos ou constitucionais para poderem exercer cargos desse nível, em
quaisquer das esferas.

Contexto em que acredito
que haja até poucos que saibam, tenham consciência, mas não aplicam. De igual
forma, há os que não conhecem e não aplicam por pura ignorância. Mas em nenhum
caso passa despercebido como se de nada tudo isso valesse. Pois a administração
pública exige essencialmente responsabilidade. Irresponsabilidade que deveria gerar
improbidade.

O interesse público
deveria, em tese, ser a tônica da vida pública, pois na se há de trabalhar por
interesses individuais ou de grupos, salvo exíguas exceções. O que norteia é a
demanda da maioria e para tanto, as instituições devem funcionar de forma eficiente.
Eis aqui outro princípio. Para falar a verdade, poucos se valem do art. 37 da
Carta Constitucional.

Percebe-se que não é só
insipiência, mas o que parece é que o obscurantismo proporcional faculta a
outras intenções, salvo engano.