22 de fevereiro de 2024

Por uns caminhos

Por
uns caminhos andei…

Experimentei
desilusão

Sair
do chão

Fui
conhecer outros planetas

Toquei
nas estrelas com as mãos

Nem
mesmo o sol me fez tirar as mãos

Andei,
andei por tantos caminhos

Uns
eu até deixei e esqueci que passei

Outros,
eu sigo na esperança de amar

Ah
quantas vezes me tranquei em mim pra ver a porta se abrir

E
não vi!

Tudo
escuridão, então apelei para as asas do meu coração

Transmutei
e sair pela frechas que alcancei

Mas
nunca perdi a esperança no amor

Ah
quantas chorei sozinho, cair, levantei e trone a caminhar

É
que eu sempre quis escutar outras vozes

Algumas
delas eu guardei dentro do meu coração

E
sei, nenhuma dor me intoxicou

E
meu ser, tornou-se livre para amar e voar…

E
fazer, refazer quantas viagens eu quiser

Até
que o meu ser um dia eu sei vai calar

Mas
nunca deixarei de amar

Nilson Ericeira