27 de fevereiro de 2024

O amor em desnude

Naquele
dia eu te vi completamente

E
desnudei meu ser pra te receber

E logo
percebi o que é o amor

Ah o
amor que eu sentir,

que nós
sentimos sós

E depois
daquele dia,

outros
dias e novas emoções

E agora
a saudade a me alagar

É que eu
não sabia que ia doer tanto assim

Mas por
favor olhe pra mim,

até as
plantas nos jardins entristeceram de saudade

É que o
nosso amor já não se repetiu e me deixei levar…

Agora só
saudade em mim

Mas te dizer
que nunca mais te tirei de mim

Então eu
vivo, ainda bem, a me vestir de ti todos os dias

É que
guardo lembranças nossas que compõem meu ser

 Nilson
Ericeira