24 de fevereiro de 2024

Meus versos lúdicos

Versei
meu coração em prosas

Iludi-me
por amar demais

Assim
não contemporizei meus versos

E
declarei amor incontido

Por
ela, menina ainda, com jeito de flor

Sim,
a flor do meu amor mais expressivo

E
é do amor dela que vivo

Pois
dela tira o meu sal de amar e néctar da vida

Por
isso vivo a versar veros por vezes incompreendidos

Mas
feito de amor vivido

Tanto
é que do meu ser sai ensaios poéticos que nem me dou conta

Porém
sei que é do amor que vivo

Ah
quem me dera saber e poder fazer todos os teus desejos

Nem
tergiversaria e só para ti viveria

Mas
ainda que eu me meta a entender os porquês da vida

Sei
que é só uma ilusão viver a esticar linhas

Pois
sei que a vida é feita de fios…

E
no tecido há os que nunca se encontra

Nem
mesmo em cruzamentos incompletos

Como
é caso de versos lúdicos de alguém que dedica a ti

Porém,
sei que por mais que não te chame atenção em letras minhas

Sei
que sabes que meus poemas são teus

Muito
mais, são fontes do meu coração

 Nilson
Ericeira