22 de fevereiro de 2024

A flor do amor por uns dias…

Dias,
meses e anos de amor

Ah
você meu amor dentro no meu coração

Que
estendeu teu riso e mãos

E
me abraçou, entrelaçou, escutou a voz do meu coração

Ah
se eu me ausento por uns dias, agonias em mim

Ventanias…

Meu
coração se derrama, e reclama de amor por ti

Meu
ser, oceano, mar nebuloso a tua espera

Pois
és a flor dos meus dias e a passagem do tempo a medir

Meu
amor sem ti, é barco à deriva de uma passageiro solitário

Por
isso é que defino o nosso tempo como sendo eterno

E
de meu amor, muito mais que fraterno

Doçura
minha que adocica os meus dias de vida

E
que alimenta meus versos desde à fonte

Sem
teu ser não sou nada, nem mesmo que a mim mesmo eu tenho

Contigo
estou em todos os segundos da minha vida

E,
assim, agradeço todos os dias desde aquele primeiro dia

Lembra!

Em
lembranças de amor tão simples, mas tão intensas

Que
até hoje, sinto como se fora antes

Um
amor que se move comigo de acordo com a estação do meu tempo

Por
isso que és a minha única flor

Que
se renova, flora, desabrocha e vive

Pois
é do calor dos teus braços e do teu frito que me tempero

Por
isso é que digo: eu te amo

 Nilson
Ericeira