25 de fevereiro de 2024

O mor que trago em mim

O mor que trago em mim

Te dou meu ser pra fazer o quiser

Só convir e exalar as tuas essências em mim
Te dou meu ser pra fazer jardins
Canteiros de amor onde for preciso semear
Lá estarei pra plantar, semear e colher
E se preciso for, vou deixar tudo de ti em mim
E nos jardins da vida sempre plantar e colher
E irrigar!
Ah amor, te darei meu ser para usar e abusar de mim
Onde eu for levarei o teu amor até o fim…
Em mim, só você
Nilson Ericeira