20 de fevereiro de 2024

Entre ondas

 O
colorido da vida salta aos meus olhos quando te vejo

A minha
composição de cores e o meu sentir de amores

Se juntam
para escutar a voz do meu coração

Quando
te vejo, velejo em mares distantes

Minha ‘cara-vela’
enche e esparrama

E em
marés ou em preamar,

é na
paixão do amor que navego

Antes, um
amante e navegador solitário,

mas que
te busca além dos mares, em todos os lugares

Que te
tem na imensidão dos ares e no coração

Pois os
astros do céu e infinito da vida te faz em mim

Em composição
e dando os tons da minha vida eu te buco

É que
ando na composição da mistura que me fazes

Antes
deveria o navegador ancorar-se em si mesmo

Pois
assim, à deriva não seguiria…

E em
porto seguro estaria

E
seguiria em ondas de seu próprio coração

 Nilson
Ericeira