20 de fevereiro de 2024

A essência de uma flor

Ali
no meu coração uma poesia surgiu!

Começou
num cantinho de mim.

Cresceu,
floresceu, multiplicou, exalou!

É
uma flor que me inspira.

Um
ser que me dá alegria.

Uma
calma que me conforta na alma.

É
gente de pele, carne e osso por quem me desnudo.

Nutro
um sentimento especial, mas que não poso dizer…

Mas
não devo esconder de mim.

Pois
negar a mim mesmo é não me aceitar

Então,
negar a mim mesmo é não me aceitar e isso.

eu
não devo.

Me
nutre e me aceita nos canteiros de mim.

Por
favor, dá-me um pouco de amor e unção.

Eu
necessito desse condimento no meu coração.  

 Nilson
Ericeira