27 de fevereiro de 2024

Coisas do indizível


uma ponte que passa no meio de mim


umas águas que correm em maresia


umas fontes que não sei explicar

Por
isso vivo a esticar letras

Mas
sei que há uns caminhos que me levam a todos os lugares

Ando
nos mares sem embarcação

Ando
nos ares sem ser da tripulação

Na
terra faço caminhos que eu bem quiser

E
faço os poemas até onde o pensamento der

Mas
sei que não corresponde aos meus próprios anseios

E
sei que ainda não terminei o semeio

Mas
também sei que há coisas que nos eternizam

E
muitos delas em nós enraízam

Por
isso eu vou seguido nos caminhos

Muitos
deles fui eu quem fez

Outros
eu sei que apenas pensei

Na
vida nem tudo pode ser perfeito

O
ser humano é cheio de defeitos

Porém
sei de cor quando você chegar

Vou
correndo querer te abraçar


quem sabe eu chegue do outro lado da ponte

Ou
mesmo atravesse o rio

Ou
mesmo bebo na água da fonte

E
posso encontrar explicações para as coisas do meu coração

 Nilson
Ericeira