22 de fevereiro de 2024

Amor consentido

Por
favor não me diga que nada sei, que não fui ou que fiquei

Que
sou só inconstância no amor

Pois
tudo que eu declarei, com os meus sentidos eu sempre te amei

E
se por um momento te deixei, mas sei que muito grande o nosso amor

E
por onde eu for, vou me declarar, divulgar e propagar, o tanto que te amei

E
assim, por toda a minha vida eu disser, das sementes que plantei

Do
que colhi e realizei, mas sempre declarando o nosso amor

Se
a saudade um dia de tocar, não precisa te lembrar de tudo que te falei

Basta
olhar para o teu próprio coração, lá a unção, o som e a voz

Pois
lá também devem estar as mensagens que eu enviei

E
se tempo não quiser passar, mais uma vez eu estou aqui para não te fazer chorar

É
que quem ama sofre mesmo com a certeza do amor

Então,
junte tudo que ficou e declare para o seu próprio ser tudo que eu tanto te
falei

São
tantas coisas de nós dois, o pensamento em sinestesia, tantas razões da nossa
alegria

Tudo
isso em nome do amor

 Nilson
Ericeira