22 de fevereiro de 2024

O homem, um ser estranho I

O homem,

um ser estranho I

O homem que rouba o homem

Que humilha

Subestima

E mata

Que explora

Aprisiona

Diz que ama

E mata!

Homem que ora

Que reza

Faz prece

Mas falseia

O homem que beija o home

E trai

O homem que fala de amor

Age com desamor

Que abraça

Que trai

O homem que acumula

Que subsiste com os restos

Que é um animal

E se torna bicho

O homem que destrói a natureza

E precisa dela pra ter ar

O bicho-homem é um ser estranho

Nilson Ericeira