22 de fevereiro de 2024

Cuide de mim

Socorra-me

Entregue-me
a você

Envolva
os meus braços nos seus

Dê-me
abraços

Dê-me
teus braços com o corpo inteiro

Enlace-me
na teia do seu amor

E me
faça laços de amor

Malhas e
firulas de alegria em mim

Desse
amor que imerso estou

Vejo que
bradou no meu coração

E fez ecoar
a minha ânsia de amar

Então,
cuide-me antes que seja tarde

E este
amor que arde passe em vão

Sem que
pelo menos dê acordes ao meu coração

Então,
devolva-me os meus braços

Pois eu
preciso chantagear o meu ser e fingir abraçar

‘Me’
enroscar em mim mesmo nessa doce ilusão

Diga-me
então o que escuto agora

Pois o
amor não tem hora e já faço acordes no meu coração

Agora já
montei meu cenário e sei que não passou de ilusão

A voz
que eu produzir eu mesmo sentir

É como
se fosse uma centelha de mim que em tudo depende desse amor

Então,
mais uma vez, dê-me os seus braços

Pois eu
quero sonhar outra vez

E em
tudo que nesta vida eu puder,

quero só
te dá meu abraço

Cuide-me!

Nilson Ericeira