27 de fevereiro de 2024

O que sobrou do amor que sinto

O que
sobrou, o que restou e o que ficou

Eu sei
que há tempos para viver

E outro
tempos para sonhar

Eu sei
também que não dá para dividir o que é para amar

Só pra
amar!

Eu sei
também que às vezes preciso me compartimentar

E fingir
que estou em alguma parte e em algum lugar

Que
aquilo eu sinto não tem nada a ver comigo

Então me
ponha a sonhar e deixar o tempo passar

Pode ser
que numa parte minha qualquer eu te encontre em mim para te amar

E te
abraçar e te dizer do meu amor

E de
tudo que passou e as marcas que ficaram em mim

E que
tudo e nada não foi em vão

Pois a
voz lá dentro que escuto é do meu coração

Eu sei
também que parece que o amor não é de ninguém

E todo
mundo quer para si o amor também

Mas não
convém se lamentar por ausência de alguém

Por isso
vou me juntar em composição e deixar fluir a voz do meu coração

É o amor
que eu sinto por alguém

Talvez
por um vacilo ou num desses ocasos

Eu me
deixar levar por um sentimento tão bonito

E capaz
de te buscar até no infinito

É o amor
que eu sinto tão bonito que é capaz de tantas coisas

E
algumas coisas eu nem sei fala

Mas sei
que tudo isso que eu sinto é por te amar

Portanto,
o que sobrou do amor que sinto é composição

Imanada do
meu coração

 Nilson
Ericeira